A Revolução Digital refere-se às mudanças radicais trazidas pela tecnologia digital e sistemas de telecomunicações, a partir da segunda metade do século XX. Se a sua empresa ainda não está nesta onda, terá problemas para fechar novos negócios. Entenda melhor lendo esse post na íntegra.

“Quem não é visto, não é lembrado”.
“Incomodada ficava sua avó.”
Começo esse texto com dois ditados populares um tanto conhecidos: o primeiro, desconheço a origem. O segundo, vem do tempo em que anunciar seus serviços e/ou produtos era feito naquela caixinha retangular (na época, quadrada…) que hoje usamos para conectar nossos notebooks, ah, sim a televisão.

Antes, quem não fosse visto na televisão, não era lembrado. Hoje, as coisas mudaram…

E o que isso tem a ver com sua vó?

97% dos idosos acessam a internet, aponta pesquisa da CNDL/SPC Brasil feita em março. Sim, as coisas mudaram e, se você quiser ser visto e lembrado, esqueça os meios tradicionais de comunicação.

O que é a Revolução Digital?
A Revolução Digital são as mudanças radicais trazidas pela tecnologia digital e sistemas de telecomunicações, a partir da segunda metade do século XX.

Ela já está se preparando para sua quarta (ou quinta) onda com a iminente chegada da tecnologia 5G e você ainda não entrou nesse jogo?

A presença nas redes sociais foi uma opção (mais do que correta) na década passada. Hoje, se você não está presente no Instagram, E-commerce, Facebook, Linkedin, blogs… Seu negócio simplesmente não existe para o mundo.

E o melhor é que você não precisa entender as tecnicalidades desse universo para posicionar seu empreendimento nele.

Assim como nos anos oitenta e noventa tínhamos os grandes publicitários e as gigantes da propaganda, hoje temos o correspondente no mundo digital. Aqueles do “1001 utilidades” e “Incomodada ficava sua avó”.

Para quem é a Revolução Digital?
Hoje temos desde pequenas empresas (de qualidade) que posicionam e administram a presença do seu negócio e/ou serviço online, seja nas redes, sites, etc, há as gigantes que, em alguns lugares têm o poder de vender por meio da realidade virtual. Os videogames já fazem isso e são pioneiros na tecnologia.

De acordo com o IDC (International Data Corporation), o Brasil liderou as compras online durante a pandemia. Em média, 88% dos brasileiros compraram online desde o início dela.

Esse dado faz com que o Brasil lidere o ranking de compras no e-commerce na América Latina, aponta um estudo realizado pelo IDC a pedido da Infobip.

No continente, a média é de 82%. O quadro é positivo para o varejo visto que, entre os entrevistados, 65% afirmaram repetir o consumo devido a uma boa experiência.

E agora, você que está de fora, percebeu a importância de fazer seu negócio navegar nas ondas da internet?
Ficar na beira da praia, assistindo outras empresas patamares cada vez mais altos é condenar seu empreendimento ao fracasso. Esqueça a vovó incomodada, mas tenha sempre em mente o ditado de “quem é visto não é lembrado!”

Por isso, finalizo este artigo convidando você a conferir os próximos posts em que explicaremos detalhadamente o que fazer para que a sua empresa entre nessa onda, conquiste bons negócios e cresça de forma sustentável. Até a próxima!

Luiz Siqueira
CEO H8 Brasil
Inteligência em Negócios